Hamilton Florentino

Hamilton Florentino

Autobiografia

Nascido em 19 de outubro de 1956, na cidade do Recife-PE, filho de Maria de Lourdes Florentino dos Santos (in memoriam) e de Milton Florentino dos Santos (in memoriam).

O maestro Hamilton Florentino vive no 'mundo da música' desde criança, por isso foi um autodidata, observando o seu pai, Milton Florentino dos Santos, cantando canções litúrgicas, frevos, baião e solfejando dobrados militares.

Aprendeu a ler as letrinhas muito precoce, com suas tias, Dona Preta e Dona Carminha (Ambas falecidas), o que o levou a estudar por conta própria, o livro de Solfejos, de A. Pearson, mas não sabia solfejar além da semicolcheia.

Suas primeiras composições, tiveram fortes influências do estilo nordestino de Quinteto Violado, Banda de Pau e Corda, Banda Som da Terra, Conjunto Concerto Viola, no início da década de 70.

Seu primeiro professor de violão, foi Luizinho de Souza e Francisco Santiago, com quem aprendeu a arte de compor frevos, canção e bloco, resultando o seu primeiro frevo de bloco 'Tristeza vá embora', em 1972.

Anos mais tarde, em 1973, ingressou na escola de música da Banda de Frevos de Cavaleiro, dirigida pelo Tem. Gouveia, com o Prof. Francisco, onde aprimorou a técnica de solfejos, que muito o ajudou a estudar o canto, o violão, o teclado e a bateria.
Nesse mesmo ano, aventurou-se a compor canções inspiradas na musicalidade armorial, junto ao seu amigo, Cícero Fernandes de Carvalho: 'Coisas do Sertão', 'Expresso Asa Branca', 'Cantiga de Boiadeiro', e o frevo canção, 'Levanta poeira', classificada em segundo lugar no Primeiro Festival de Música Estudantil do Centro de Estudos Supletivos Poeta Joaquim Cardozo, em Tejipió, Recife, no ano de 1986.

Em 1980, ingressou no Conservatório Pernambucano de Música, no curso de solfejos, com o Maestro Luiz Caetano e violão, com o saudoso Prof. Henrique Eanes, mas interrompeu o curso devido a uma cirurgia de hérnia que motivou sua perda na turma de violão.

Em 1989, ingressou na UFPE, no curso de Licenciatura em Educação Artística (Artes Plásticas) e, em 1995, ingressou no segundo curso, Licenciatura em Música, onde aprendeu, principalmente, a arte de arranjos, regência de coro e orquestra e composição com os professores maestros: José Amaro dos Santos, Nelson Cavalcanti de Almeida, Osman Giogia, Carlos Sidronni e Manuel Santos.

Em seguida, mergulho no universo da música carnavalesca, vindo a fazer parte da orquestra do BCM Pirilampos de Tejipió, no carnaval de 1990, em que sua primeira composição para o desfile dos Pirilampos, foi uma homenagem ao saudoso radialista e compositor Aldemar Paiva.
Depois, em meados da década de 90, participou do BCM Pierrot de São José, em cujos desfiles com os temas: Invasão holandesa (o boi voador) e Carlos Pena, o bloco conquistou o campeonato.

Em 1998, participou da orquestra de Pau e Corda, da qual originou-se o BCL Cordas e Retalhos, no dia 15 de agosto, e o primeiro regresso do bloco é de sua autoria.

Aprimorou sua arte de produzir arranjos e regência de coro e orquestra, com os maestros Edson Rodrigues, Edson Cunha, Inaldo Moreira Lima, José Nunes, Duda e participou de vários seminários de composição e regência coral, promovidos pela ABCantocoral-PE, da qual é associado.

No início da primeira década de 2000, ajudou a formar novos blocos, a exemplo dos blocos Utopia e Paixão, Rosas da Boa Vista, Sempre Feliz e outros.

Em 2010, a pedido da direção do Bloco Carnavalesco Amantes das Flores de Camaragibe, reorganizou o acervo musical do bloco e em 2012, passou a integrar na orquestra do bloco, onde foi campeão, com o tema sobre o maracatu, conquistando assim, o ingresso ao grupo Especial, do qual o bloco não saiu mais.
A partir de 2016, o Amantes das Flores de Camaragibe, conquistou o primeiro lugar, sucessivamente, até o ano 2020, o ano do penta campeonato, cujas composições desses cinco desfiles, são de sua autoria e em parcerias com outros compositores e compositoras, Arlindo Oliveira, Birino Lucas, Reginaldo Silva, Elis Freitas e Socorro Pereira.

O maestro Hamilton Florentino não mais participa do Bloco Amantes das Flores de Camaragibe. Dedica-se agora na implantação de oficinas de musicalização, através do CEMCAPE, que está em fase de elaboração e será implantado brevemente.

Atualmente exerce a disciplina de Artes, na Escola Estadual Pres. Juscelino Kubitscheck, em Nossa Senhora do Socorro, Região Metropolitana de Aracaju, Sergipe.

COMPOSIÇÕES


*Suas composições estão nos arquivos do CEMCAPE e nos blocos que participou, destacando-se:

• Regresso do BCL Cordas e Retalhos - com arranjos do autor, revisados pelo maestro Edvaldo Cavalcanti.
• Amanheceu - dedicado à Profª. Conceição Rocha, do BCL Cordas e Retalhos.
• Caruru - parceria com o poeta Arlindo Oliveira.
• Evoé, Nelson Ferreira! - autoria de Paulão Santos, do Bloco Utopia e Paixão, sendo parceiro e arranjador desse frevo. .
• Evoé, Zé do passo! - dedicado ao saudoso passista José, ex folião do Bloco Rosas da Boa Vista. .
• Miltinho no frevo - seu primeiro frevo de rua.
• Noite Boêmia - dedicado ao Bloco Boêmios da Boa Vista e outros.


Veja mais
Arlequim